Sítios

Uma viagem por terras onde a Portugalidade persiste, aquém e além fronteiras


Uma das características que definem a “Portugalidade” é a maneira de ser, e de estar na vida, praticada quotidianamente pelos portugueses, pelos Lusos. Mas o viver de todo e qualquer ser humano, exige um Tempo e um Espaço, para tal ser vivenciado.

Ora, naturalmente o viver e o estar dos portugueses é praticado por eles, ou na “Terra” que os viu nascer, ou na Terra em que escolheram viver e onde quotidianamente trabalham. Por isso, é que se torna tão importante dar a conhecer a “Terra”, e o “Local”, os “Sítios” pátrios, onde a “cultura Lusitana “ nasceu, se desenvolveu e frutifica.

E no caso Luso, isso é tão importante, tão crucial e fundamental para o Luso, estar sempre ligado e “umbilicalmente” à terra em que nasceu, ou por nela ter continuado a viver e a trabalhar. Sob pena de se tal não acontecer, a sua existência diária lhe fazer então “brotar no seu espírito, a Saudade da Terra onde nasceu. E esse sentimento de Saudade, para o Luso é tão intenso, fundamental e necessário para a sua existência, como o é para a própria TERRA, que esta também não se consegue “desligar” das Saudades que a TERRA tem de ter sido anteriormente o leito do Mar.

Por isso, o Luso ou vive na Terra onde nasceu, ou vive em outro lugar mas “sempre” pensando com Saudade, na Terra de onde partiu, que na maior parte das vezes está separada dele, também por força da água do Mar. Este sítio da Portugalidade, propõem pois a todo o Luso, que possa encontrar aqui, uma referência à sua Terra Natal e dela se lembrar com saudade.