A vida e obra do dramaturgo Jorge Ferreira de Vasconcelos são temas de uma conferência a realizar hoje, na Biblioteca Nacional de Portugal (BNP), Lisboa, onde está patente a exposição comemorativa do quinto centenário do nascimento do escritor.

A vida e obra do dramaturgo/comediógrafo, a teatralidade da sua obra dramática, os desafios colocados pela encenação do teatro clássico, sobretudo do repertório clássico português, são assuntos a abordar na conferência da investigadora Silvina Pereira, intitulada ‘Jorge Ferreira de Vasconcelos na Biblioteca Nacional’, segundo uma nota à imprensa da BNP.

Silvina Pereira é doutorada em Estudos de Teatro pela Faculdade de Letras das Universidade de Lisboa, faz parte do Centro de Estudos Clássicos da Faculdade, é fundadora do Teatro Maizum e autora de ‘Tras a nevoa vem o sol — as comédias de Jorge Ferreira de Vasconcelos’.

Após a conferência, os atores Álvaro Faria, Augusto Portela e Júlio Martin, do Teatro Maizum, vão fazer uma leitura encenada de algumas cenas da comédia do autor ‘Aulegrafia’, inédita nos palcos portugueses.

Uma conferência, em abril último, na Academia das Ciências de Lisboa, e a exposição ‘Um homem do Renascimento’, patente desde 15 de maio, até à próxima sexta-feira, na BNP, contam-se entre as iniciativas comemorativas do V centenário do nascimento do dramaturgo que se distinguiu, na época, pelo teatro de comédia. As homenagens são uma iniciativa da Fundação Calouste Gulbenkian, da BNP e do Teatro Maizum.

Jorge Ferreira de Vasconcelos foi um comediógrafo português, que nasceu em 1515 e morreu entre 1563 e 1585, não existindo confirmação da data exata da sua morte.

Admite-se que nasceu em Montemor-o-Velho, cresceu na casa do duque de Aveiro e frequentou a Universidade de Coimbra, no tempo de Luiz de Camões.

A BNP tem disponíveis, em edição digital, ‘Aulegrafia’ e ‘Eufrósina’, assim como a restante comédia conhecida do escritor, ‘Ulissipo’, e o seu romance de cavalaria ‘O Memorial da Segunda Távola Redonda’.

A conferência tem início às 18:30, no auditório da BNP, em Lisboa.

 

Em: Notícias ao Minuto| 09/09/15| Por Lusa