Segundo dados do Ministério da Educação do Luxemburgo, o português é a segunda língua materna mais falada nas escolas do país, com 28,9% de falantes, a seguir ao luxemburguês, com 39,8%, mas à frente dos outros dois idiomas oficiais do Grão-Ducado, francês (11,9% de falantes) e alemão (2%).

Os alunos portugueses representam mais de vinte por cento dos estudantes em todos os níveis de ensino no país, uma percentagem que no ensino primário ronda os 26,9 por cento, segundo dados do Ministério da Educação de 2013.

 

Luxemburgo, 20 jan (Lusa) – A língua portuguesa vai ser um dos idiomas ensinados na Escola Internacional de Differdange, um estabelecimento de ensino público cuja criação foi hoje aprovada pelo Parlamento luxemburguês.

Esta é a primeira vez que o português integra o programa do ensino público no Luxemburgo.

A escola primária e secundária, que deverá abrir em setembro no sul do Grão-Ducado, vai ter duas secções linguísticas, uma francófona e outra anglófona, podendo os alunos optar por uma segunda língua desde o primeiro ano de escolaridade, entre francês, alemão, inglês e português.

A Escola Internacional de Differdange surge em resposta ao crescente número de alunos estrangeiros no Luxemburgo, a maioria portugueses.

De acordo com o projeto de criação da escola, “é da responsabilidade do Estado [luxemburguês] propor um sistema educativo público em que cada aluno tenha hipótese de sucesso, independentemente da língua falada em casa”, num “esforço para integrar os alunos estrangeiros”.

A Escola Internacional de Differdange vai acolher inicialmente cerca de 150 alunos, mas poderá vir a receber até 1.400 estudantes a partir de 2020, quando as instalações estiverem concluídas.

O novo estabelecimento de ensino vai ter um currículo semelhante ao das escolas europeias, beneficiando do estatuto de escola agregada.

No Luxemburgo vivem cerca de 100 mil portugueses, que representam cerca de 18 por cento da população no país.

 

em Observatório da Língua Portuguesa. Ver Artigo