Portugal tem, há cerca de uma semana, um centro de competências para o desenvolvimento da astronomia nos países de língua oficial portuguesa, uma iniciativa da União Astronómica Internacional (UAI).

O Centro de Competências de Astronomia em Língua Portuguesa é coordenado pelo NUCLIO – Núcleo Interactivo de Astronomia, associação nacional criada por astrónomos profissionais e amadores que promove a divulgação e o ensino da astronomia e astrofísica.

À Lusa, a presidente da associação, Rosa Doran, disse hoje que o centro resulta de uma candidatura apresentada pelo NUCLIO, em colaboração com o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, a um protector lançado pela UAI. A assinatura do acordo entre os parceiros foi feita na quinta-feira, no Havai, nos Estados Unidos, na Assembleia Geral da UAI.

Rosa Doran adiantou que o centro, a funcionar em Portugal durante os próximos cinco anos, procurará “usar a astronomia como ferramenta para desenvolver os países”, com nenhuma ou pouca competência científica e técnica na área, socorrendo-se de uma rede de colaboradores, incluindo investigadores e universidades.

A dirigente do NUCLIO lembrou que, por exemplo, nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa faltam recursos básicos, como professores com formação em astronomia e materiais didácticos e equipamentos tecnológicos que permitam aceder ao conhecimento e investigação científicos.

Apesar de o centro funcionar em Portugal, a ideia é que a estrutura ‘rode’ depois por outros países de língua portuguesa, à medida que a União Astronómica Internacional renove o acordo estabelecido.

A UAI criou igualmente, na mesma altura, centros do género na Arménia, na Colômbia, na Jordânia e na Nigéria, que se juntam aos abertos anteriormente na China, na Etiópia, na Tailândia e na Zâmbia, de acordo com um comunicado divulgado na quinta-feira pela própria instituição.

Fundada em 1919, a União Astronómica Internacional tem como missão promover a divulgação e a investigação em astronomia, através da cooperação internacional, sendo formada por astrónomos profissionais de mais de 90 países.

Com sede em Paris, França, a UAI é a entidade que reconhece oficialmente a atribuição de um nome a um corpo celeste, como um planeta ou um asteróide.

Em: Notícias ao Minuto