A Península de Setúbal somou 40 medalhas – 10 de prata e 29 de bronze – no International Wine Challenge (IWC) 2015, em Londres, com destaque para Moscatel 96 da SIVIPA, único a alcançar a ambicionada medalha de ouro, posicionando-se entre os mais notáveis vinhos de Portugal.

 

“Complexo, rico em fruta, com notas de alperce, fumado, frutos secos, grande equilíbrio e longo final. Jovem e fresco”. É esta a descrição do Moscatel da Colheita de 1996 da SIVIPA eleito pelo júri do IWC em Londres, conhecido por ser o concurso mais exigente e influente do mundo, onde participaram os mais notáveis produtores de 47 países.

O prémio junta-se à medalha de bronze recebida no certame para Serra Mãe Reserva 2013, um tinto DOC deste produtor. Os prémios surgem pouco depois da SIVIPA ter ganho uma Grande Medalha de Ouro no Concours Mondial de Bruxelles e dois prémios Uva de Ouro em Portugal com o Ameias Syrah 2013 e o Serra Mãe Reserva.

Sessenta medalhas de ouro para Portugal

Os vinhos do Porto sobressaíram, com 34 medalhas de ouro conquistadas. Destas, nove foram para a Sogevinus, através das marcas Barros, Burmester, Calém e Kopke.

Ao todo, Portugal obteve 617 medalhas no IWC 2015. Além das de ouro, conseguiu ainda 223 de prata e 334 de bronze.

O vinho Justino’ Madeira Boal 1934 destacou-se por ser o de mais idade premiado com ouro neste concurso, realçou o IWC.

“Estes resultados mostram que Portugal não é mais só um país de vinhos fortificados, mas que também produz vinhos não fortificados fantásticos. O vale do Douro e o Alentejo são duas regiões que fazem tintos tremendos e brancos cada vez melhores”, disse Charles Metcalfe, do júri.

Em: Port.Com |14 de Maio de 2015|