A produtora portuguesa Joana Ferreira, da C.R.I.M. Produções, participará em maio num encontro de produtores europeus de cinema, o ‘Producers on the move’, no âmbito do Festival Internacional de Cinema de Cannes, em França.

De acordo com a organização, Joana Ferreira faz parte de uma selecção de vinte dos “mais dinâmicos novos produtores de cinema da Europa” que participarão numa plataforma de encontros com agentes do sector durante o festival de Cannes, de 13 a 24 de maio.

Nesta 16.ª edição, a organização deste encontro limitou a participação a 29 produtores, tendo escolhido os que apresentam “experiência internacional em co-produção e que tenham estreado filmes fora do país de origem”.

Nascida em Lisboa, em 1973, Joana Ferreira está ligada ao cinema desde finais dos anos 1990, tendo trabalho com realizadores como Manoel de Oliveira, João Canijo, Teresa Villaverde e Miguel Gomes.

Em 2005, Joana Ferreira foi uma das co-fundadoras da C.R.I.M. Produções, produtora que conta no currículo com filmes como “A vingança de uma mulher”, de Rita Azevedo Gomes, “Feliz aniversário”, de Jorge Cramez, “Outras cartas ou o amor inventado”, de Leonor Noivo, e o premiado documentário “E agora? Lembra-me”, de Joaquim Pinto.

Para os países mais pequenos da Europa, as co-produções internacionais são “uma necessidade” em termos de financiamento de projectos cinematográficos, sustenta Renate Rose, da organização do Producers on the Move, em comunicado.

Em edições anteriores, o Producers on the Move contou com a participação, entre outros, de Nuno Bernardo, João Matos, Rodrigo Areias, Luís Urbano, Fernando Vendrell e Leonel Vieira.

Este ano, a propósito de Cannes, na Quinzena dos Realizadores estarão presentes dois filmes portugueses: a trilogia “As mil e uma noites”, de Miguel Gomes, e a curta-metragem “Provas, Exorcismos” de Susana Nobre, ambos em estreia mundial.

O projeto de Miguel Gomes, inspirado nos contos populares árabes e que remete para a crise económica portuguesa, é composto pelos filmes “O inquieto”, “O desolado” e “O encantado”, cada um com duas horas de duração.

“Provas, exorcismos” conta a história de Óscar Germano, um operário que se vê confrontado com o encerramento da fábrica onde trabalhou durante 25 anos, em Alhandra, e procura um novo emprego.

Durante o festival, será também exibido o documentário “De volta à terra”, primeiro filme de João Pedro Plácido, seleccionado pela Associação do Cinema Independente para a sua Difusão, de França.

Esta associação de cineastas apoia a divulgação de filmes independentes em França, à boleia do festival de Cannes, organiza encontros com realizadores e público e facilita a procura de distribuição naquele mercado.

“De volta à terra”, que acompanha a vida de uma família que se dedica à agricultura em Uz, pequena aldeia do interior norte de Portugal, recebeu dois prémios no DocLisboa de 2014.

Em: Notícias ao Minuto |22 de Abril de 2015 | Por Lusa