Portugal vai ser o país em foco no Festival Internacional de Cinema de Taipé, de 26 de Junho a 18 de Julho, com mais de 50 filmes de quase duas dezenas de realizadores, de Manoel de Oliveira a João Salaviza.

Em parceria com a Agência da Curta Metragem, responsável pelo Curtas de Vila do Conde, o festival irá apresentar “um vasto programa de curtas-metragens portuguesas, de autores consagrados e de cineastas emergentes, com o objectivo de dar a conhecer, ao público de Taiwan, a cultura e o cinema nacionais”, refere em comunicado a agência.

O festival vai alargar-se também a longas-metragens e a realizadores como Manoel de Oliveira, João César Monteiro, Paulo Rocha, Fernando Lopes e António Reis, assim como a Joaquim Pinto, Teresa Villaverde e Vitor Gonçalves, além de Pedro Costa, João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, que serão “realizadores em foco”, segundo a programação do certame.

‘O Velho do Restelo’, de Manoel de Oliveira, último trabalho assinado pelo cineasta falecido em Abril, aos 106 anos, é uma das obras em destaque, assim como o primeiro filme da trilogia de João César Monteiro sobre a figura de João de Deus, ‘Recordações da Casa Amarela’, ou ‘Verdes anos’ e ‘Mudar de vida’, de Paulo Rocha, e ‘Belarmino’, de Fernando Lopes, entendidos como filmes fundadores do Novo Cinema português.

Estas obras serão exibidas no âmbito da secção ‘City in Focus: Lisbon’ (‘Cidade em foco’), através da qual o festival vai percorrer quase toda a história do cinema português, dos primeiros filmes de Oliveira, a ‘Aquele querido mês de Agosto’, de Miguel Gomes, passando pelo Novo Cinema dos anos de 1960 e pela geração emergente da década de 1980, em que se contam Vítor Gonçalves, Teresa Villaverde ou Manuel Mozos.

‘Douro, faina fluvial’ e ‘Aniki Bobó’, de Manuel de Oliveira, ‘Trás-os-montes’, de António Reis e Margarida Cordeiro, ‘Uma rapariga no verão’, de Vítor Gonçalves, ‘Mutantes’, de Teresa Villaverde, e ‘João Bénard da Costa – Outros amarão as coisas que eu amei’, de Manuel Mozos, ilustram a ‘Cidade em foco’.

Na secção dedicada exclusivamente às curtas-metragens, contam-se 21 produções de realizadores como João Salaviza, Regina Pessoa, Gabriel Abrantes, Basil da Cunha, Sandro Aguilar, João Nicolau, Joana Pimenta e Carlos Conceição.

No ‘realizador em foco’, o festival apresentará a filmografia de Pedro Costa, incluindo a mais recente obra estreada pelo cineasta português, ‘Cavalo Dinheiro’, assim como os restantes filmes da chamada “Tetralogia das Fontaínhas” – ‘Ossos’, ‘No quarto da Vanda’ e ‘Juventude em marcha’ -, entre outros do cineasta, e uma retrospectiva dedicada ao trabalho de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata.

Do trabalho destes dois realizadores serão exibidos, entre outros, filmes inspirados na Ásia: ‘Iec Long’, ‘Mahjong’, ‘A última vez que vi Macau’, ‘Alvorada Vermelha’ e ‘China, China’.

João Pedro Rodrigues e Guerra da Mata serão também homenageados com uma nova retrospectiva em Tóquio, a partir de 12 de Junho, depois da mostra itinerante que, em 2013, percorreu várias cidades do Japão e que foi destaque, no passado mês de Abril, no Harvard Film Archive da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

“São da maior importância estas retrospectivas que nos são dedicadas no continente asiático”, considera a dupla de realizadores, no comunicado da agência. “Se pensarmos que se trata do maior mercado cinematográfico do mundo, a presença recorrente dos nossos filmes, seja em festivais de cinema, retrospectivas, edições DVD, exibições televisivas, demonstra o crescente interesse pelo cinema feito em Portugal nesta parte do mundo. Esperamos, agora, que os nossos filmes sejam exibidos comercialmente nas salas de cinema”.

Em: Notícias ao Minuto |05 de Junho de 2015|