Filho do príncipe D. João Manuel e de D. Joana d´Áustria, neto de D. Joãp III e de D. Carlos V, nasceu em Lisboa a 20 de Janeiro de 1554 e morreu na Batalha de Alcácer Quibir a 4 de Agosto de 1578.

Durante a sua menoridade foram regentes a rainha-mãe D. Catarina (de 1557 a 1562) e o cardeal D. Henrique (até 1568), facto que muito contribuiu para a profunda divisão da sociedade portuguesa e para a desagregação da administração do reino. D. Sebastião tentou restituir a país a grandeza dos reinados anteriores e a pureza dos «antigos costumes», tendo deixado um impressionante conjunto legislativo de grande valor para a época.

A guerra da Índia e a permanente ameaça dos mouros em Marrocos incitaram o jovem rei a preparar uma nova cruzada guerreira contra os infiéis. A 25 de Junho de 1578 parte de Lisboa a frente de um exército mal preparado, a maioria sem experiência militar e com inúmeros mercenários estrangeiros (dos 18 000 homens, 6 000 seriam alemães, flamengos, italianos e espanhóis).

Desembargado em Tânger, dirige-se depois para Alcácer Quibir, onde se dá a batalha contra 100 000 muçulmanos e que resultaria uma verdadeira hecatombe para os cristãos.

Durante o reinado de D. Sebastião foi o império Oriental dividido em três governos, da Índia, de Malaca e de Monomotapa, consolidando-se a presença portuguesa em Moçambique, em Angola, no Congo e no Brasil.

Em 1572 é publicado Os Lusíadas e D. Sebastião autorga a Luís de Camões (1527?-1580) uma tença de 15 000 reais. Rei jovial, corajoso, justo, amigo dos pobres e de fazer reinar a justiça , passou à História com o cognome de «O Desejado».

20150331_125927

Nessa época era usado pela Aldeã o trajo identificados na gravura pelos nr´s 1, o Mercador campesino vestia como figura nr´ 2, o Pagem da corte como nas figura 3, já a Dama Nobre vestiam como figuras nr´s. 4 e 6, o Mercador como figura nr. 5, o Servidor da casa nobre como figura nr. 7, e o Mosqueteiro como figura nr. 8.

Em: Gomes, Alberto e Trigueiros, António Miguel (1992), Moedas Portuguesas na Época dos Descobrimentos, 1385-1580. Lisboa.