Os Encontros Internacionais da Guitarra, que decorrem de 17 a 25 de Outubro, em Coimbra, destacam este ano “o papel da mulher na cultura”, com concertos das guitarristas Luísa Amaro e Marta Pereira da Costa.

“É muito difícil encontrar mulheres capazes de interpretar e tocar a guitarra portuguesa”, observou Emília Cabral Martins, presidente da Orquestra Clássica do Centro (OCC), entidade organizadora do evento, sublinhando que Luísa Amaro e Marta Pereira da Costa são “as maiores intérpretes portuguesas” dessa guitarra.

 

Luísa Amaro, viúva de Carlos Paredes, apresenta o seu mais recente álbum “ARGVS”, a 18 de outubro, e Marta Pereira da Costa estará presente no concerto de encerramento, a 25 de outubro, acompanhada pela OCC, sendo que todos os eventos irão realizar-se no Pavilhão Centro de Portugal.

As duas guitarristas, de gerações diferentes, estarão também presentes num debate com o tema “As mulheres e a Música”, também no último dia dos Encontros.

Os Encontros darão um destaque “especial” à música de Cabo Verde, com um concerto, a 24 de outubro, de Sérgio Figueira e Francesco Valente, instrumentistas da recentemente criada Orquestra Nacional de Cabo Verde, projeto apoiado pela OCC.

Com nove eventos, a oitava edição dos Encontros pretende “promover não só a música, mas também o instrumento que faz parte da nossa identidade – a guitarra portuguesa -”, afirmou Emília Cabral Martins, na conferência de apresentação da iniciativa.

O programa conta com “muitas obras que vão ser estreadas”, apostando-se na valorização da “guitarra portuguesa enquanto instrumento solista”, sendo orquestradas obras que não tinham qualquer partitura.

David Wyn Lloyd, maestro da OCC, salientou que a guitarra portuguesa “surge normalmente a solo ou em pequenos grupos”, tendo sido um “desafio” pegar em músicas compostas para guitarra portuguesa e transcrevê-las para uma partitura para ser tocada por uma orquestra.

Esse processo “não é uma recomposição, mas sim uma extrapolação – imaginar para além daquilo que está lá”, contou.

O maestro referiu ainda que a transcrição de músicas para guitarra portuguesa é “um papel importante” para valorizar a cultura e internacionalizar a música do país, considerando que nesse aspeto a guitarra portuguesa “ainda está na infância”.

Para além do destaque a Cabo Verde e às guitarristas portuguesas, haverá um recital de guitarra clássica de João Tiago Correia, um concerto do construtor de instrumentos Fernando Meireles, uma “masterclass” com o professor de guitarra Paulo Vaz de Carvalho e uma abordagem à obra do compositor Francisco Martins no concerto de encerramento, entre outras iniciativas.

Apenas o concerto de Luísa Amaro e o espetáculo de encerramento têm preço de entrada (sete euros e 10 euros, respetivamente), sendo os restantes eventos de entrada gratuita.

 

Em: Notícias ao Minuto, 08 de Outubro de 2014 | Por Lusa