“Água Fria”, um retrato da portugalidade que está a correr mundo

Era para ser apenas uma cena de um filme sobre a costa portuguesa, que Pedro Neves está a preparar. Mas quando o realizador viu as imagens que captou, meses depois de ter passado pela romaria de São Bartolomeu do Mar, em Esposende, percebeu que podia ser mais do que isso. Água Fria são quase 14 minutos de uma reflexão sobre o ser português ou, pelo menos, “sobre um certo modo de ser português”. É um filme “sobre desilusões, sobre memórias, sobre sensações”. A curta-metragem foi seleccionada para Clermont-Ferrand, em França, considerado o mais importante Festival Internacional de Curta Metragens do mundo. E o percurso internacional não fica por aí.

Em “P3″: p3.publico.pt/node/2387