Há 50 anos, o prémio Nobel fazia uma pedido acerca de direitos e deveres.

Um encontro de intelectuais na Cidade do México, nos dias 24 a 25 de Junho, anunciado hoje pela revista Blimunda, responde ao desafio lançado pelo escritor José Saramago, para a criação de uma proposta de “Carta dos Deveres Humanos”.

O Congresso Prospectiva del Mundo, revelado no editorial da edição de maio da revista digital da Fundação José Saramago, resulta de uma parceria entre esta entidade, a Universidade Nacional Autónoma do Méximo (UNAM) e a World Future Society – Capítulo Mexicano.

“Foi-nos proposta uma Declaração Universal de Direitos Humanos, e com isso julgámos ter tudo, sem repararmos que nenhuns direitos poderão subsistir sem a simetria dos deveres que lhes correspondem”, disse Saramago no 50.º aniversário da promulgação da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

A iniciativa, que terá lugar no próximo mês, na capital mexicana, marca “o momento de estabelecer os deveres que são a contrapartida dos direitos pelos quais tantos lutaram”, como se lê no editorial de Blimunda, e abrirá com uma intervenção de Pilar del Rio, presidente da Fundação e viúva do escritor.

O número 36 da revista da Fundação José Saramago conta, ainda, com referências ao Festival Literatura em Viagem (LeV), à “Viagem do elefante por Viseu Dão Lafões” e à estreia do filme “Capitão Falcão”.

Do LeV, em Matosinhos, Blimunda traz as fotorreportagens de Pedro Loureiro, subordinadas ao tema “A Viagem – Retratos”.

No cinema, a revista faz a ponte entre a comédia “Capitão Falcão”, sobre “o primeiro super-herói português”, que defendia o Estado Novo, e “A Revolução de Maio” (1937) de António Lopes Ribeiro, filme que comemorou os dez anos do movimento que deu origem à ditadura.

Pode encontrar-se, ainda na mesma edição, um relato da “Viagem do elefante [Salomão] por Viseu Dão Lafões” – obra dos fotógrafos Carlos Teles e Ricardo Chaves e dos jornalistas Ricardo Viel e Sara Figueiredo Costa -, em diálogo com a mesma digressão experimentada pelo Trigo Limpo Teatro da Associação Cultural e Recreativa de Tondela (ACERT).
Na secção Saramaguiana, Ana Paula Arnaut, professora da Universidade de Coimbra, interpreta o livro “Diálogos com José Saramago”, de Carlos Reis, reeditado recentemente.

Para os mais novos, nas páginas dedicadas ao infantojuvenil, há uma selecção de novidades literárias que vão ser lançadas no final do mês, na Feira do Livro de Lisboa.

O próximo número da revista Blimunda, a sair em Junho, vai assinalar o quinto aniversário da morte de José Saramago e terá um “formato especial”, por completar três anos de existência.

Em: Jornal i|Lusa